26 de set de 2009

Programação SÁBADO, 26/09

Encerramento bombástico da 2ª Semana Ousada de Artes UFSC UDESC! Além da reapresentação das montagens "Popol Vuh" e "A Galinha Degolada", pra quem perdeu na sexta-feira, a solenidade que encerra a programação da Semana Ousada recebe a Trupe Sonora Casa de Orates em "Sonhos, uma viagem ao onírico". O grupo mistura performance e música na criação de um espetáculo lúdico e ambientado no sonho. Confira a programação abaixo.
Obrigado por participar da 2ª Semana Ousada de Artes UFSC UDESC! Ano que vem a gente arrasa na ousadia de novo...
Beijos loucos


9h às 19h


Mostra[dois]: A entropia das coisas
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Para a física e a termodinâmica o termo entropia conceitua uma medida associada ao grau de desordem, aplicado quando a energia é dissipada em forma de calor ao invés de ser transformada em trabalho. Esse conceito nos remete à espontaneidade dos fenômenos do universo, levando a crer que ele aponta para um estado de caos.

Nas artes, o termo entropia foi aplicado para conceituar diversos procedimentos contemporâneos. Questões sobre as concepções matéricas, sobre o espaço da obra e seu entorno, as explorações das percepções e sensações do espectador, os trânsitos e as barreiras entre significados e significantes, o engano, o engodo, o trompe l'oeil, enfim, tudo aquilo que cause instabilidades e questionamentos nas referências e entendimento do público.

A Exposição Mostra [dois]: a entropia das coisas, que acontece esse ano novamente junto à Semana Ousada de Artes UFSC & UDESC, apresenta uma proposta curatorial trazendo 11 trabalhos reunidos sobre o mesmo tema, o estado de desordem das coisas.

Artistas: Ana Clara Joly, Bruno Ropelato, Claudia Lira, Francis Pedemonte, Ghysa Rocha, Gibran Romão, Graciela Kruscinski, Jorge Luiz Miguel, Leandro Serpa, Lílian Barbon, Maximilian Tommasi, Priscilla Menezes e Zero Grupo

Curadoria: Francine Goudel e Giorgio Filomeno

Projeto Educativo: Júlia Pinto

Mediação: Gabriela Caetano


Exposição Modateca do CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

A Modateca preserva os elementos representativos da cultura material de moda e de vestuário catarinense, para subsidiar as atividades de ensino, pesquisa e extensão no Centro de Artes e contribuir para a formação de uma memória cultural têxtil em Santa Catarina. O acervo se compõe de peças do vestuário, trajes, coleções, fotografias, fitas de vídeo e CDs, cadernos de tendências, acessórios (chapéus, luvas, jóias, calçados, bolsas) e o material produzido por alunos e professores do Curso de Moda. Integram o Programa as ações Modateca Virtual; Reminiscências de Moda Olga Mafra: referência de elegância nos anos de 1950; Preservação do acervo da Fototeca; Desfile de Formandos; Incursões da Moda na Agenda Cultural da Grande Florianópolis.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna

Exposição Teciteca do CEART / UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Coordenadora: Profª Drª Sandra Regina Rech

A Teciteca do Centro de Artes é um programa de extensão que tem como objetivo geral fornecer subsídios aos profissionais da área de moda e à comunidade em geral para atuar em processos da cadeia produtiva têxtil. Para divulgar as informações técnico/cientificas e atualizadas do substrato têxtil à comunidade empresarial, acadêmicos e profissionais de moda, a Teciteca conta com dois projetos: “Novas tendências Têxteis, Manutenção e Atualização do Acervo da Teciteca" e "Teciteca Virtual”, além de um Curso/Evento de extensão. Seu acervo conta com aproximadamente 2000 bandeiras têxteis. Endereço eletrônico: www.udesc.br/teciteca


Ecomoda – CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

Coordenadores: Profª Msc. Neide Köhler Schulte e Prof Msc. Lucas da Rosa

A exposição “Ecomoda: Primavera Silenciosa” será apresentada durante a Semana Ousada. Assim como o alerta de Rachel Carson, no livro “Primavera Silenciosa”, de 1962, a exposição quer chamar a atenção para o uso dos agrotóxicos e outros produtos químicos lançados no meio ambiente. Na produção do vestuário, desde a matéria prima até o pós- uso das roupas, ainda há muita contaminação do meio ambiente com produtos químicos. O uso de tecidos orgânicos, tecidos reciclados e reutilizados é a proposta apresentada na exposição.

O Programa de Extensão EcoModa desenvolve atividades com a comunidade no intuito de disseminar o desenvolvimento sócio-ambiental sustentável através da Moda. São desenvolvidos cursos, oficinas, palestras, exposições e desfiles onde são criados e apresentados diversos produtos desenvolvidos a partir de reuso, reciclagem e uso de materiais orgânicos. É uma proposta para uma moda que une estética e ética.

Publicar Moda da UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

O Publicar Moda visa socializar as reflexões acadêmicas resultantes das atividades de pesquisa, extensão e ensino do corpo docente do Curso de Moda a toda a comunidade acadêmica nacional, para tal realiza a busca constante de fontes para publicação e divulgação de trabalhos científicos dos professores do Curso de Moda; viabiliza a publicação anual da série Modapalavra e trimestralmente da revista Modapalavra E-periódico; organiza e operacionaliza o conselho editorial da publicação; promove os Seminários de Pesquisa do Departamento de Moda; mantém informativo dos diversos eventos realizados no país e internacionalmente para o corpo docente e alunos do curso de Moda e para qualquer interessado a partir de seu periódico eletrônico; auxilia na editoração e supervisão do suporte material da série Modapalavra.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna


SCMC (Santa Catarina Moda Contemporânea) da UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense

O projeto Santa Catarina Moda Contemporânea – SCMC foi criado em 2004 por três empresários catarinenses. Tem como objetivo transformar o estado de Santa Catarina, que tem reconhecimento nacional como industrial e corporativo, em referência no design e na moda, através de uma construção de imagem mais contemporânea e de vanguarda. As ações compreendem uma interação e autoconhecimento das empresas e de um exercício de construção de uma nova possibilidade de produtos que alunos trazem, proveniente da sua visão inovadora.
O projeto tem como lema - unir para crescer, unir para aprender, unir para vencer.
A indústria mais design mais escola é igual ao um novo olhar.
O departamento de Moda da UDESC é parceiro desta iniciativa deste a sua criação, o programa Santa Catarina Moda Contemporânea / UDESC é a formalização desta parceira.

Coordenadora: Profª Eliana Gonçalves

Exposição Design UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Estarão expostos Projetos de Identidade Visual, Projetos Gráficos Editoriais, Projetos de Embalagens, Animações, Cartazes, Ilustrações, Peças Gráficas Promocionais, Fotografias, Modelagem Tridimensional, Projetos de Produtos, entre outros.


9h às 22h

Exposição Coletiva da AAPLASC – Homenagem a Max Moura
Local: Galeria de Arte da UFSC

Organização: Associação de Artistas Plásticos de Santa Catarina


Intervenção Circuito Nova Paisagem
Local: Hall Centro de Cultura e Eventos UFSC


Minha mãe é frágil
Eu tenho raiva dela
Eu sou parecido com minha mãe
Eu tb. Sou muito frágil
Deus tb. É frágil
Eu tenhho raiva de deus, por isso
Eu tb. Sou muito frágil
Eu sou deus

Artista-propositor: Allison Silva “Tizo”


“Corpo Masculino, Olhares Femininos"
Local: Sala Goaibeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Zulma Borges


"SYMBIOSIS" - Grupo de Gravura Cidade de Florianópolis
Local: Hall da Reitoria da UFSC

Figurinos de Cinema
Local: Hall da Reitoria UFSC
Organização: Lou Hamad


Trajos Folclóricos dos Açores
Local: Espaço Cultural do NEA - Núcleo de Estudos Açorianos
Organização: Joi Cletison Alves

“Arquitetura do Imaginário"
Local: Sala Pitangueira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Alina Santiago e Américo Ishida

“Arquitetando Sentidos: Imagens, Som, Espaço e Movimento"
Local: Sala Aroeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Cesar Floriano dos Santos


20h

Peça “Galinha Degolada”
Local: DAC - Teatro da UFSC

Baseado no conto homônimo do escritor uruguaio Horacio Quiroga (1878-1937), é o trabalho que marca o início da parceria entre duas destacadas companhias teatrais de Florianópolis: Persona Companhia de Teatro e Teatro em Trâmite.

A peça conta a história do casal Mazzini-Ferraz e seus quatro filhos portadores uma doença mental incurável. Os meninos sofrem todas as consequências da falta de amor entre os pais. São representados por bonecos que, por sua plasticidade desprovida de força própria, simbolizam a falta de vida no corpo idiotizado. Passado certo tempo, nasce uma menina sadia, que acaba revelando o verdadeiro sentido da falta de cuidado e amor do casal. Junto a marido e mulher, desenrolam o enredo a empregada e a narradora, que conduz a história criada por Quiroga – um contista talentoso, na mesma linha de Allan Poe e Jorge Luis Borges, que tratou de forma sensível e delicada, ao mesmo tempo incisiva e perturbadora, temas de grande profundidade.

Direção: Jefferson Bittencourt
Texto: Horacio Quiroga
Tradução: Jefferson Bittencourt e Gláucia Grigolo
Elenco: André Francisco, Gláucia Grigolo, Loren Fischer e Samantha Cohen
Recomendação etária: acima de 12 anos
Duração: 45 minutos



20h30

Show com Trupe Casa de Orates: "Sonhos"
Local: Teatro Pedro Ivo

Encerramento da 2ª Semana Ousada de Artes UFSC – UDESC

Ação Social: Troca de ingresso por Kit Higiênico (sabonete e pasta dental)

"Sonhos, uma viagem ao onírico"
O homem faz um acordo com o bobo da corte do reino dos Sonhos, o de aprisionar suas sete personalidades em uma cartola mágica. Porém, no alento da noite, ao adormecer, encontra-se com os seres de seu íntimo e embarca numa viagem introspectiva e lúdica e musical ao mundo dos Sonhos.

Trupe Sonora Casa de Orates (músicos / personagens)

Darlan Martins H. Junior - contrabaixo / Colecionador de lembranças
Euclydes da Cunha Neto - guitarra, violão / Louco
Julio Cesar Mendonça - bateria / Filósofo
Marcelo Azeredo - flauta, voz e percussão / Bruxo
Marcio de Novaes - violão e voz / viajante
Siara Bonatti - voz / boneca onírica
Jonata Gonçalves - colecionador de lembranças



21h30

Ato Performático: "Popol Vuh"
Local: Espaço Alternativo no DAC - Teatro da UFSC

Considerado um clássico americano indígena, a narrativa se abre para diferentes possibilidades de leitura. Neste breve recorte a Obra será focalizada pelo aspecto das origens das quatro criações, que parte da vontade dos deuses de serem adorados, tendo início a concepção de toda a Terra e dos animais. Porém, esses animais não puderam louvá-los por não serem capazes de falar, por isso são condenados a devorar uns aos outros para sobreviverem. Os deuses investem, então, na criação do primeiro homem, feito a partir do barro, o qual é incapaz de procriar e dizer os divinos nomes de seus criadores, sendo assim, destruído. O segundo homem criado, feito de madeira, passa a habitar a terra. Apesar de falar e se procriar, esse homem é incapaz de lembrar os nomes de seus deuses, pois não possui memória. Desta forma, é invocado um dilúvio que os elimina. Os deuses buscam o conselho de seus sábios anciões para criar um novo humano, que é feito à base dos nutrientes do milho misturado a outros ingredientes. Com tamanha inteligência e beleza, o recém-nascido homem de milho causa espanto aos seus criadores, que temem serem por eles igualados. Desta maneira, os deuses condenam sua bela cria a viver na terra com uma visão limitada que só percebe a matéria bruta ao seu redor. Os micros acontecimentos apresentados se configuram a partir da investigação cênica realizada pelo grupo e apontam para a tentativa de mapear elementos da obra inspirados pela origem das criações.

Num primeiro contato o grupo vislumbra um Popol Vuh aéreo, porém, ao se aproximar mais da obra, as imagens cênicas vão se configurando em direção ao solo. Desse encontro com o poema maia-quiché, o O?gia Grupo de Teatro, busca sensibilizar o interlocutor através de cores, cheiros, sons e imagens para o que pode se fazer presente deste acontecimento.

Atuantes: Ana Zen de Moraes, Andréa Meirelles, Araeliz, Cristiano Welaski, Eloisa Dornelles, Fábio Celant, Felipe de Marco Pessoa, Gabriel Ortega, Íris Rosa Lami, Jordi Timón, José Leonardo Rocha (Zeca), Julio Gabriel, Khalid Prestes, Luiza Pimenta, Marina Veshagem, Vinícius Renzulli
Direção Geral do Projeto e Encenação: Maris Viana

Recomendação etária: acima de 12 anos

25 de set de 2009

Programação SEXTA-FEIRA, 25/9

Boa tarde! Segue a programação dessa véspera de encerramento da Semana Ousada. Lembrando que é hoje a palestra do professor da PUC-SP Arlindo Machado, pesquisador em arte e tecnologia, sobre "O Panorama das Artes no século XXI". O encontro vai tratar da discussão contemporânea da técnica e conceituação artísticas relacionadas ao meio digital, e ocorre às 18h30, no Museu da Escola Catarinense (UDESC), no centro.

Também ocorre o ato performático baseado no "Popol Vuh", o principal registro das lendas da civilização Maia. A montagem focaliza nas origens das quatro criações,
que partem da vontade dos deuses de serem adorados, tendo início a concepção de toda a Terra e dos animais. O espetácul ocorre no Espaço Alternativo no DAC - Teatro da UFSC, às 21h30.


7h45

Vihuela no silêncio
Local: Departamento de Música do CEART – UDESC

Coordenador: Kleber Alexandre


9h às 19h

Mostra[dois]: A entropia das coisas
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Conversa com artistas: hoje, 22/09 às 18h
Abertura da exposição: 22/09 às 19h

Para a física e a termodinâmica o termo entropia conceitua uma medida associada ao grau de desordem, aplicado quando a energia é dissipada em forma de calor ao invés de ser transformada em trabalho. Esse conceito nos remete à espontaneidade dos fenômenos do universo, levando a crer que ele aponta para um estado de caos.

Nas artes, o termo entropia foi aplicado para conceituar diversos procedimentos contemporâneos. Questões sobre as concepções matéricas, sobre o espaço da obra e seu entorno, as explorações das percepções e sensações do espectador, os trânsitos e as barreiras entre significados e significantes, o engano, o engodo, o trompe l'oeil, enfim, tudo aquilo que cause instabilidades e questionamentos nas referências e entendimento do público.

A Exposição Mostra [dois]: a entropia das coisas, que acontece esse ano novamente junto à Semana Ousada de Artes UFSC & UDESC, apresenta uma proposta curatorial trazendo 11 trabalhos reunidos sobre o mesmo tema, o estado de desordem das coisas.

Artistas: Ana Clara Joly, Bruno Ropelato, Claudia Lira, Francis Pedemonte, Ghysa Rocha, Gibran Romão, Graciela Kruscinski, Jorge Luiz Miguel, Leandro Serpa, Lílian Barbon, Maximilian Tommasi, Priscilla Menezes e Zero Grupo

Curadoria: Francine Goudel e Giorgio Filomeno

Projeto Educativo: Júlia Pinto

Mediação: Gabriela Caetano


Exposição Modateca do CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

A Modateca preserva os elementos representativos da cultura material de moda e de vestuário catarinense, para subsidiar as atividades de ensino, pesquisa e extensão no Centro de Artes e contribuir para a formação de uma memória cultural têxtil em Santa Catarina. O acervo se compõe de peças do vestuário, trajes, coleções, fotografias, fitas de vídeo e CDs, cadernos de tendências, acessórios (chapéus, luvas, jóias, calçados, bolsas) e o material produzido por alunos e professores do Curso de Moda. Integram o Programa as ações Modateca Virtual; Reminiscências de Moda Olga Mafra: referência de elegância nos anos de 1950; Preservação do acervo da Fototeca; Desfile de Formandos; Incursões da Moda na Agenda Cultural da Grande Florianópolis.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna

Exposição Teciteca do CEART / UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Coordenadora: Profª Drª Sandra Regina Rech

A Teciteca do Centro de Artes é um programa de extensão que tem como objetivo geral fornecer subsídios aos profissionais da área de moda e à comunidade em geral para atuar em processos da cadeia produtiva têxtil. Para divulgar as informações técnico/cientificas e atualizadas do substrato têxtil à comunidade empresarial, acadêmicos e profissionais de moda, a Teciteca conta com dois projetos: “Novas tendências Têxteis, Manutenção e Atualização do Acervo da Teciteca" e "Teciteca Virtual”, além de um Curso/Evento de extensão. Seu acervo conta com aproximadamente 2000 bandeiras têxteis. Endereço eletrônico: www.udesc.br/teciteca


Ecomoda – CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

Coordenadores: Profª Msc. Neide Köhler Schulte e Prof Msc. Lucas da Rosa

A exposição “Ecomoda: Primavera Silenciosa” será apresentada durante a Semana Ousada. Assim como o alerta de Rachel Carson, no livro “Primavera Silenciosa”, de 1962, a exposição quer chamar a atenção para o uso dos agrotóxicos e outros produtos químicos lançados no meio ambiente. Na produção do vestuário, desde a matéria prima até o pós- uso das roupas, ainda há muita contaminação do meio ambiente com produtos químicos. O uso de tecidos orgânicos, tecidos reciclados e reutilizados é a proposta apresentada na exposição.

O Programa de Extensão EcoModa desenvolve atividades com a comunidade no intuito de disseminar o desenvolvimento sócio-ambiental sustentável através da Moda. São desenvolvidos cursos, oficinas, palestras, exposições e desfiles onde são criados e apresentados diversos produtos desenvolvidos a partir de reuso, reciclagem e uso de materiais orgânicos. É uma proposta para uma moda que une estética e ética.

Publicar Moda da UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

O Publicar Moda visa socializar as reflexões acadêmicas resultantes das atividades de pesquisa, extensão e ensino do corpo docente do Curso de Moda a toda a comunidade acadêmica nacional, para tal realiza a busca constante de fontes para publicação e divulgação de trabalhos científicos dos professores do Curso de Moda; viabiliza a publicação anual da série Modapalavra e trimestralmente da revista Modapalavra E-periódico; organiza e operacionaliza o conselho editorial da publicação; promove os Seminários de Pesquisa do Departamento de Moda; mantém informativo dos diversos eventos realizados no país e internacionalmente para o corpo docente e alunos do curso de Moda e para qualquer interessado a partir de seu periódico eletrônico; auxilia na editoração e supervisão do suporte material da série Modapalavra.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna


SCMC (Santa Catarina Moda Contemporânea) da UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense

O projeto Santa Catarina Moda Contemporânea – SCMC foi criado em 2004 por três empresários catarinenses. Tem como objetivo transformar o estado de Santa Catarina, que tem reconhecimento nacional como industrial e corporativo, em referência no design e na moda, através de uma construção de imagem mais contemporânea e de vanguarda. As ações compreendem uma interação e autoconhecimento das empresas e de um exercício de construção de uma nova possibilidade de produtos que alunos trazem, proveniente da sua visão inovadora.
O projeto tem como lema - unir para crescer, unir para aprender, unir para vencer.
A indústria mais design mais escola é igual ao um novo olhar.
O departamento de Moda da UDESC é parceiro desta iniciativa deste a sua criação, o programa Santa Catarina Moda Contemporânea / UDESC é a formalização desta parceira.

Coordenadora: Profª Eliana Gonçalves

Exposição Design UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Estarão expostos Projetos de Identidade Visual, Projetos Gráficos Editoriais, Projetos de Embalagens, Animações, Cartazes, Ilustrações, Peças Gráficas Promocionais, Fotografias, Modelagem Tridimensional, Projetos de Produtos, entre outros.


9h às 22h

Exposição Coletiva da AAPLASC – Homenagem a Max Moura
Local: Galeria de Arte da UFSC

Organização: Associação de Artistas Plásticos de Santa Catarina


Intervenção Circuito Nova Paisagem
Local: Hall Centro de Cultura e Eventos UFSC


Minha mãe é frágil
Eu tenho raiva dela
Eu sou parecido com minha mãe
Eu tb. Sou muito frágil
Deus tb. É frágil
Eu tenhho raiva de deus, por isso
Eu tb. Sou muito frágil
Eu sou deus

Artista-propositor: Allison Silva “Tizo”


“Corpo Masculino, Olhares Femininos"
Local: Sala Goaibeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Zulma Borges


"SYMBIOSIS" - Grupo de Gravura Cidade de Florianópolis
Local: Hall da Reitoria da UFSC

Figurinos de Cinema
Local: Hall da Reitoria UFSC
Organização: Lou Hamad


Trajos Folclóricos dos Açores
Local: Espaço Cultural do NEA - Núcleo de Estudos Açorianos
Organização: Joi Cletison Alves

“Arquitetura do Imaginário"
Local: Sala Pitangueira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Alina Santiago e Américo Ishida

“Arquitetando Sentidos: Imagens, Som, Espaço e Movimento"
Local: Sala Aroeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Cesar Floriano dos Santos



11h

Coral dos Calouros UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense – UDESC

Coordenador: Kleber Alexandre


11h às 11h30

Mostra Curtas Infantil UNISUL-UDESC
Local: Museu da Escola Catarinenese - UDESC

Curadoria: Fátima Costa Lima e Sandra Meyer

Eu Soldadinho, Ela Bailarina
Direção de Adriana Gama
ano: 2006
Duração: 13’37”

Leste do sol, Oeste da Lua
Direção de Patrícia Monegatto Lopes
ano: 2008
Duração: 12’19”

Joãozinho, Bu!
Direção de rafaem Chuck Martins
ano: 2009
Duração: 11’11”



12h

"Ímpeto"
Local: Hall da FAED – UDESC

ÍMPETO tem como processo de criação a exploração da dinâmica de trabalho do grupo e a construção da cena através de experiências, relatos e pesquisas corporais sobre o próprio processo de construção e apresentação do espetáculo. Nesse espiral de imersão e introspecção, ÍMPETO propõe o questionamento sobre a realização da peça, através da discussão sobre padrões dramáticos, de improvisação, interpretação, construção de personagem e relações entre ator e espectador, a cena acontece entre o caos e a ordem, a tempestade e o ímpeto, da realização ou não da própria apresentação.

Atuação: Amanda Gartner, Daniela Sousa, Luiz Felipe Bianchini, Naiara Alice Bertoli, Nathalie Soler, Taíse Muniz e Thais Antonio Carli
Criação: Turma de Montagem Teatral I (2009/1)
Dramaturgia: Fernando Peiter Gonçalves, Karine de Oliveira Cupertino, Nathalie Soler e Pedro Bennaton
Direção de Arte: Amanda Gartner, Fernanda Rachel da Silva, Naiara Alice Bertoli, Taíse Muniz e Thais Antonio Carli
Preparação Vocal e Sonora: Morgana Martins
Design Gráfico: Daniela Sousa
Produção: Daniela Sousa, Luiz Felipe Bianchini e Paula Cruz
Assistência de Direção: Bárbara Teles Cardoso
Direção: Pedro Bennaton


12h30

Sized
Local: Concha Acústica da UFSC

Há pouco mais de um ano na cidade de Florianópolis, alguns ex-integrantes da Sepulnation, banda cover do Sepultura, resolveram retirar seus sonhos da gaveta, nascendo a SIZED. O quarteto formado por Kavera (vocal/guitarra), Vitor (guitarra), Quira (baixo) e Ovo (bateria), realizam um Thrash Metal diferenciado, que vem chamando a atenção do público desde a primeira apresentação do grupo. Mesmo com o pouco tempo de existência, a SIZED lançou sua primeira Demo em janeiro desse ano, a qual esta sendo distribuída na cidade de São Paulo pelo selo Sujo Records. Mas as novidades para 2009 não param por ai. O primeiro CD oficial esta sendo trabalhado em parceria com o selo mineiro D.N.A. Productions, com previsão de lançamento até o fim do ano, além do agendamento de shows para divulgação do mesmo pela Europa em 2010.


13h

Ação Educativa Apresenta: Mostra[dois ponto um]
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Coordenação: Júlia Rocha Pinto


14h

Leitura Dramática de "A Cantora Careca” de Ionesco
Local: Sala Preta CFM (402) Curso de Artes Cênicas (Entrada pelo CCE)

“A cantora careca” (1950), primeira peça escrita pelo dramaturgo romeno, naturalizado francês, Eugène Ionesco (1909 -1994), inaugurou um novo gênero teatral, o “teatro do absurdo”, ao estrear em Paris, sem grande sucesso, em maio de 1950. Apesar do início desastroso, pela escassez de público e críticas, a peça ganhou notoriedade e, depois disso, foi encenada no mundo inteiro e nunca mais saiu de cartaz na França. “A cantora careca” foi inspirada num livro didático que ensinava inglês para estrangeiros, conforme seu autor afirmou. Foi estudando inglês, já na vida adulta, que Ionesco descobriu, nesse livro, verdades “surpreendentes”, ou seja, que o teto está em cima e o chão embaixo. Logo, os exercícios das lições de inglês foram se transformando em cenas de sua peça, a qual explora clichês e fórmulas vazias e, de forma humorada, discute o isolamento do homem, quando imerso na banalidade do dia-a-dia. Embora “A cantora careca” se passe na casa de uma família inglesa, situada num bairro de Londres, o alcance da sua crítica à “impossibilidade da comunicação” extrapola esse universo restrito e permite uma visão geral da “tragédia da língua”, tornada inoperante no mundo moderno.

Coordenação: Dirce Waltrick do Amarante (tradução, leitura e direção)

Elenco: Aline Maciel, George França, Evandro de Sousa, Gabriela Moreira, Lucas Lima e Emiliano de Souza


15h

O caráter irrepetível da experiência e da obra de arte na filosofia hermenêutica de Gadamer
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC

com Adriano Picoli



16h

O problema da Arte
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC

com Henrique Burigo


17h

Experiências subterrâneas
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC

com Flávia Cera


18h30
Palestra: "O Panorama das Artes no Século XXI"
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Se toda arte é feita com os meios do seu tempo, a arte do século XXI terá forte presença da tecnologia em todas as suas manifestações. Mas as técnicas, os dispositivos, os artifícios de que se utiliza o artista não são apenas ferramentas inertes, ou mediações inocentes. Eles já estão carregados de conceitos, eles têm uma história, eles derivam de condições produtivas bem determinadas. A arte de hoje deve traçar uma nítida diferença entre o que é, de um lado, a mera produção industrial de desenhos agradáveis para as mídias de massa e, de outro, a busca de uma ética e uma estética para a era das redes e dos meios digitais.

Palestrante: Arlindo Ribeiro Machado Neto - professor da PUC- São Paulo


19h

Sarau Boca de Cena
Local: Arena do CEART - UDESC - Itacorubi


Música
Bandas 3 Jay, Desclassificados e Expedição


Poesia
Julio Cesar Gentil e Kellen Flôr


Teatro
Rossano Pio em "Traumas de Infância" e "Gripe Suína"


Dança
Alessandra da Cruz e Manu Tsigani em "Al Andaluz Danças do Inconsciente" e Alessandra Impaléa e alunos do Colégio Tenente Almachio


Artes Plásticas e Malabares
Rogério Messias



"Luísa"
Local: Laboratório 2 - CEART / UDESC

Um texto. Que se desdobra em quatro movimentos, que são como quatro estradas seguindo para um mesmo ponto: a lembrança, ou a procura dela. Luisa reconstrói a angústia da memória com recortes de vida, idas e vindas, no fundo, estáticas. Começa assim com tal tristeza e termina tudo igual. Tudo igual, pois há algo de feroz sob a suavidade das lembranças.

Direção: Ana Luiza Fortes
Elenco: Lara Matos, Tama Ribeiro e Natalie Soler
Assitência de Direção: Luician Chussard

Livremente adaptado do texto Luisa de Daniel Veronese



Mostra Curtas Adulto UNISUL-UDESC (4º dia)
Local: Museu da Escola Catarinense

Público: Adulto

Curadoria: Fátima Costa Lima e Sandra Meyer


FINAL FELIZ
As peripécias de uma paixão narrada com estilo e humor.
Direção de Thiago Machado
ano: 2005
Duração: 15’30”

SANTA
Encontros misteriosos entre uma santa, uma mulher e uma menina.
Direção de Marina Scherer
ano: 2005
Duração: 7’30”’

PANDORA
Quando nada mais resta no relacionamento, surgem os desejos mais íntimos e perversos.
Direção de João Guilherme Soares
ano: 2009
Duração: 23’

QUE CHEIRO DE GRAMA CORTADA NO FRIO
Os dias passam para jovens que apenas vivem suas vidas. Mas isso já é muito.
Direção de Heitor Caramez
ano: 2009
Duração: 15’



Performance nas artes visuais: documentos e audiência
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC

com Regina Melim


20h

Peça “Galinha Degolada”
Local: DAC - Teatro da UFSC

Baseado no conto homônimo do escritor uruguaio Horacio Quiroga (1878-1937), é o trabalho que marca o início da parceria entre duas destacadas companhias teatrais de Florianópolis: Persona Companhia de Teatro e Teatro em Trâmite.

A peça conta a história do casal Mazzini-Ferraz e seus quatro filhos portadores uma doença mental incurável. Os meninos sofrem todas as consequências da falta de amor entre os pais. São representados por bonecos que, por sua plasticidade desprovida de força própria, simbolizam a falta de vida no corpo idiotizado. Passado certo tempo, nasce uma menina sadia, que acaba revelando o verdadeiro sentido da falta de cuidado e amor do casal. Junto a marido e mulher, desenrolam o enredo a empregada e a narradora, que conduz a história criada por Quiroga – um contista talentoso, na mesma linha de Allan Poe e Jorge Luis Borges, que tratou de forma sensível e delicada, ao mesmo tempo incisiva e perturbadora, temas de grande profundidade.

Direção: Jefferson Bittencourt
Texto: Horacio Quiroga
Tradução: Jefferson Bittencourt e Gláucia Grigolo
Elenco: André Francisco, Gláucia Grigolo, Loren Fischer e Samantha Cohen
Recomendação etária: acima de 12 anos
Duração: 45 minutos


"Ponte Safena" – Performance Suicida
Local: itinerante – saída em frente ao CCE – CFH

Do consultório do clínico ou do divã do analista elevam-se as queixas dos incompreendidos, dos angustiados, dos insatisfeitos, dos deprimidos, dos suicidas. Em uma era narcisista, o exílio interior mostra a condição de cada um de nós: sem religião, sem ideal, sem esperança, o indivíduo decepciona-se consigo mesmo e torna-se descrente do outro. Ponte Safena propõe uma reflexão sobre o homem existencial, mesclando realidade e bom humor e demonstra que sempre haverá uma saída para as desilusões humanas, incitando a que digam: “VIDA - Não tenho medo de ti!”.

Performers: Maria Luiza Iuaquim e Vera Lúcia Ferreira (Artes Cênicas/UFSC)
Coordenação: Fernando Faria

Duração: 20min.



Mito e Weltanschauung em Wagner
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC

com Alessandro Pinzani


20h30

Peça "A Ponte"
Local: CFH/UFSC

(após a Performance Ponte de Safena, no CFH)

Quando não há mais esperança ou a vida perde o seu sentido, o homem cogita o suicídio para buscar, com a morte, por termo às suas angústias. Uma terrível aflição consome o seu íntimo até realmente decidir-se. Então, escolhe a forma de mais fácil execução, e aguarda pelo momento certo! Para muitos, um triste fim, para outros, somente uma solução...Mas o que aconteceria se três pessoas desconhecidas entre si, decidissem se jogar da mesma ponte, no mesmo dia, no mesmo horário? É o que aconteceu com um mendigo desprezado que busca consolo na fé; uma emergente de meia-idade, que vê o tempo deixar-lhe suas marcas e um sujeito, cansado de sua vida monótona e perfeita!

Direção e Adaptação: Fernando Faria
Atores: Carlos Silva, Ilze Körting e Ricardo Goulart (Artes Cênicas/UFSC)
Dramaturgia final: Zuca Zenker
Projeto de luz: Gabriel Guedert

Duração: 30min.


21h

Peça "Rito de Passagem"
Local: Teatro Pedro Ivo

Espetáculo-solo de dança contemporânea que utiliza a técnica de dança vertical (aérea). Os ciclos da vida refletidos como pêndulo de equilíbrio são tratados sob a ótica e referencial da mulher indígena. O emprego de recursos técnios e tecnológicos, como a projeção de imagens na cena com data-show, equipam o olhar do espectador para observação da expressão corporal no balé aéreo, provocando novas situações do uso do espaço e do tempo do movimento dançado. Os movimentos realizados a alguns metros do chão valorizam desenhos pintaods no corpo da intérprete, mantendo a platéia presa pela sensação do inesperado.

Direção Artística / Coreografia: Yara Costa
Intérprete Criadora: Yara Costa
Roteiro: Yara Costa e Ricardo Risuenho
Cenografia: Nelson Magli
Projeto de Luz: Ricardo Risuenho
Vídeo-maker: Ednaldo passos
Operação de som e luz: Alessany Negreiros
Operação de Imagens: Rosi Rosa
Fotos: Ruth Jucá


21h30

Ato Performático: "Popol Vuh"
Local: Espaço Alternativo no DAC - Teatro da UFSC

Considerado um clássico americano indígena, a narrativa se abre para diferentes possibilidades de leitura. Neste breve recorte a Obra será focalizada pelo aspecto das origens das quatro criações, que parte da vontade dos deuses de serem adorados, tendo início a concepção de toda a Terra e dos animais. Porém, esses animais não puderam louvá-los por não serem capazes de falar, por isso são condenados a devorar uns aos outros para sobreviverem. Os deuses investem, então, na criação do primeiro homem, feito a partir do barro, o qual é incapaz de procriar e dizer os divinos nomes de seus criadores, sendo assim, destruído. O segundo homem criado, feito de madeira, passa a habitar a terra. Apesar de falar e se procriar, esse homem é incapaz de lembrar os nomes de seus deuses, pois não possui memória. Desta forma, é invocado um dilúvio que os elimina. Os deuses buscam o conselho de seus sábios anciões para criar um novo humano, que é feito à base dos nutrientes do milho misturado a outros ingredientes. Com tamanha inteligência e beleza, o recém-nascido homem de milho causa espanto aos seus criadores, que temem serem por eles igualados. Desta maneira, os deuses condenam sua bela cria a viver na terra com uma visão limitada que só percebe a matéria bruta ao seu redor. Os micros acontecimentos apresentados se configuram a partir da investigação cênica realizada pelo grupo e apontam para a tentativa de mapear elementos da obra inspirados pela origem das criações.

Num primeiro contato o grupo vislumbra um Popol Vuh aéreo, porém, ao se aproximar mais da obra, as imagens cênicas vão se configurando em direção ao solo. Desse encontro com o poema maia-quiché, o O?gia Grupo de Teatro, busca sensibilizar o interlocutor através de cores, cheiros, sons e imagens para o que pode se fazer presente deste acontecimento.

Atuantes: Ana Zen de Moraes, Andréa Meirelles, Araeliz, Cristiano Welaski, Eloisa Dornelles, Fábio Celant, Felipe de Marco Pessoa, Gabriel Ortega, Íris Rosa Lami, Jordi Timón, José Leonardo Rocha (Zeca), Julio Gabriel, Khalid Prestes, Luiza Pimenta, Marina Veshagem, Vinícius Renzulli
Direção Geral do Projeto e Encenação: Maris Viana

Recomendação etária: acima de 12 anos

24 de set de 2009

ousadia multimídia

Duas novidades!
1-) O álbum de fotos da 2ª Semana Ousada de Artes UFSC-UDESC já está disponível, e vai ficar em atualização constante até a semana seguinte. Acesse aqui.
2-) Está no youtube o vídeo de abertura da Semana Ousada, exibido antes do show do grupo Teatro Mágico, segunda-feira, dia 21. Para assistir, clique neste link.

Momento #ficadica: hoje (sexta), véspera de encerramento da Semana Ousada, ocorre uma palestra com o pesquisador Arlindo Machado. O doutor em comunicações e docente da PUC-SP vai discutir "O Panorama das Artes no século XXI", baseado em seu campo de pesquisa, que envolve arte e tecnologia. A palestra é às 18h30, no Museu da Escola Catarinense (UDESC), no centro.

Em breve será postada a programação completa de sexta-feira.
Abraço!

Programação QUINTA-FEIRA, 24/9

Boa tarde! Nessa véspera de encerramento da Semana Ousada, a programação de quinta tem como destaques a Mostra de Dança do CEFID, que traz 26 apresentações em dois atos, e o espetáculo de performance cênica Tentacle Ensemble. A Mostra de Dança ocorre às 20h, no teatro Pedro Ivo (SC-401). Os ingressos devem ser obtidos na bilheteria do teatro Pedro Ivo ou Ademir Rosa (CIC), a partir das 13h, em troca de 1kg de alimento não-perecível.

Para o Tentacle Ensemble, que será apresentado às 20h30 no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, pede-se o famigerado kit de higiene (pasta de dentes + sabonete). A troca está sendo realizada no Núcleo de Comunicação do Ceart/UDESC. Corre!

Segue a programação do dia:


9h às 19h

Mostra[dois]: A entropia das coisas
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Conversa com artistas: hoje, 22/09 às 18h
Abertura da exposição: 22/09 às 19h

Para a física e a termodinâmica o termo entropia conceitua uma medida associada ao grau de desordem, aplicado quando a energia é dissipada em forma de calor ao invés de ser transformada em trabalho. Esse conceito nos remete à espontaneidade dos fenômenos do universo, levando a crer que ele aponta para um estado de caos.

Nas artes, o termo entropia foi aplicado para conceituar diversos procedimentos contemporâneos. Questões sobre as concepções matéricas, sobre o espaço da obra e seu entorno, as explorações das percepções e sensações do espectador, os trânsitos e as barreiras entre significados e significantes, o engano, o engodo, o trompe l'oeil, enfim, tudo aquilo que cause instabilidades e questionamentos nas referências e entendimento do público.

A Exposição Mostra [dois]: a entropia das coisas, que acontece esse ano novamente junto à Semana Ousada de Artes UFSC & UDESC, apresenta uma proposta curatorial trazendo 11 trabalhos reunidos sobre o mesmo tema, o estado de desordem das coisas.

Artistas: Ana Clara Joly, Bruno Ropelato, Claudia Lira, Francis Pedemonte, Ghysa Rocha, Gibran Romão, Graciela Kruscinski, Jorge Luiz Miguel, Leandro Serpa, Lílian Barbon, Maximilian Tommasi, Priscilla Menezes e Zero Grupo

Curadoria: Francine Goudel e Giorgio Filomeno

Projeto Educativo: Júlia Pinto

Mediação: Gabriela Caetano


Exposição Modateca do CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

A Modateca preserva os elementos representativos da cultura material de moda e de vestuário catarinense, para subsidiar as atividades de ensino, pesquisa e extensão no Centro de Artes e contribuir para a formação de uma memória cultural têxtil em Santa Catarina. O acervo se compõe de peças do vestuário, trajes, coleções, fotografias, fitas de vídeo e CDs, cadernos de tendências, acessórios (chapéus, luvas, jóias, calçados, bolsas) e o material produzido por alunos e professores do Curso de Moda. Integram o Programa as ações Modateca Virtual; Reminiscências de Moda Olga Mafra: referência de elegância nos anos de 1950; Preservação do acervo da Fototeca; Desfile de Formandos; Incursões da Moda na Agenda Cultural da Grande Florianópolis.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna

Exposição Teciteca do CEART / UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Coordenadora: Profª Drª Sandra Regina Rech

A Teciteca do Centro de Artes é um programa de extensão que tem como objetivo geral fornecer subsídios aos profissionais da área de moda e à comunidade em geral para atuar em processos da cadeia produtiva têxtil. Para divulgar as informações técnico/cientificas e atualizadas do substrato têxtil à comunidade empresarial, acadêmicos e profissionais de moda, a Teciteca conta com dois projetos: “Novas tendências Têxteis, Manutenção e Atualização do Acervo da Teciteca" e "Teciteca Virtual”, além de um Curso/Evento de extensão. Seu acervo conta com aproximadamente 2000 bandeiras têxteis. Endereço eletrônico: www.udesc.br/teciteca


Ecomoda – CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

Coordenadores: Profª Msc. Neide Köhler Schulte e Prof Msc. Lucas da Rosa

A exposição “Ecomoda: Primavera Silenciosa” será apresentada durante a Semana Ousada. Assim como o alerta de Rachel Carson, no livro “Primavera Silenciosa”, de 1962, a exposição quer chamar a atenção para o uso dos agrotóxicos e outros produtos químicos lançados no meio ambiente. Na produção do vestuário, desde a matéria prima até o pós- uso das roupas, ainda há muita contaminação do meio ambiente com produtos químicos. O uso de tecidos orgânicos, tecidos reciclados e reutilizados é a proposta apresentada na exposição.

O Programa de Extensão EcoModa desenvolve atividades com a comunidade no intuito de disseminar o desenvolvimento sócio-ambiental sustentável através da Moda. São desenvolvidos cursos, oficinas, palestras, exposições e desfiles onde são criados e apresentados diversos produtos desenvolvidos a partir de reuso, reciclagem e uso de materiais orgânicos. É uma proposta para uma moda que une estética e ética.

Publicar Moda da UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

O Publicar Moda visa socializar as reflexões acadêmicas resultantes das atividades de pesquisa, extensão e ensino do corpo docente do Curso de Moda a toda a comunidade acadêmica nacional, para tal realiza a busca constante de fontes para publicação e divulgação de trabalhos científicos dos professores do Curso de Moda; viabiliza a publicação anual da série Modapalavra e trimestralmente da revista Modapalavra E-periódico; organiza e operacionaliza o conselho editorial da publicação; promove os Seminários de Pesquisa do Departamento de Moda; mantém informativo dos diversos eventos realizados no país e internacionalmente para o corpo docente e alunos do curso de Moda e para qualquer interessado a partir de seu periódico eletrônico; auxilia na editoração e supervisão do suporte material da série Modapalavra.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna


SCMC (Santa Catarina Moda Contemporânea) da UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense

O projeto Santa Catarina Moda Contemporânea – SCMC foi criado em 2004 por três empresários catarinenses. Tem como objetivo transformar o estado de Santa Catarina, que tem reconhecimento nacional como industrial e corporativo, em referência no design e na moda, através de uma construção de imagem mais contemporânea e de vanguarda. As ações compreendem uma interação e autoconhecimento das empresas e de um exercício de construção de uma nova possibilidade de produtos que alunos trazem, proveniente da sua visão inovadora.
O projeto tem como lema - unir para crescer, unir para aprender, unir para vencer.
A indústria mais design mais escola é igual ao um novo olhar.
O departamento de Moda da UDESC é parceiro desta iniciativa deste a sua criação, o programa Santa Catarina Moda Contemporânea / UDESC é a formalização desta parceira.

Coordenadora: Profª Eliana Gonçalves

Exposição Design UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Estarão expostos Projetos de Identidade Visual, Projetos Gráficos Editoriais, Projetos de Embalagens, Animações, Cartazes, Ilustrações, Peças Gráficas Promocionais, Fotografias, Modelagem Tridimensional, Projetos de Produtos, entre outros.


9h às 22h

Exposição Coletiva da AAPLASC – Homenagem a Max Moura
Local: Galeria de Arte da UFSC

Organização: Associação de Artistas Plásticos de Santa Catarina


Intervenção Circuito Nova Paisagem
Local: Hall Centro de Cultura e Eventos UFSC


Minha mãe é frágil
Eu tenho raiva dela
Eu sou parecido com minha mãe
Eu tb. Sou muito frágil
Deus tb. É frágil
Eu tenhho raiva de deus, por isso
Eu tb. Sou muito frágil
Eu sou deus

Artista-propositor: Allison Silva “Tizo”


“Corpo Masculino, Olhares Femininos"
Local: Sala Goaibeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Zulma Borges


"SYMBIOSIS" - Grupo de Gravura Cidade de Florianópolis
Local: Hall da Reitoria da UFSC

Figurinos de Cinema
Local: Hall da Reitoria UFSC
Organização: Lou Hamad


Trajos Folclóricos dos Açores
Local: Espaço Cultural do NEA - Núcleo de Estudos Açorianos
Organização: Joi Cletison Alves

“Arquitetura do Imaginário"
Local: Sala Pitangueira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Alina Santiago e Américo Ishida

“Arquitetando Sentidos: Imagens, Som, Espaço e Movimento"
Local: Sala Aroeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Cesar Floriano dos Santos


11h às 11h30

Mostra Curtas Infantil UNISUL-UDESC
Local: Museu da Escola Catarinenese - UDESC

Curadoria: Fátima Costa Lima e Sandra Meyer

Eu Soldadinho, Ela Bailarina
Direção de Adriana Gama
ano: 2006
Duração: 13’37”

Leste do sol, Oeste da Lua
Direção de Patrícia Monegatto Lopes
ano: 2008
Duração: 12’19”

Joãozinho, Bu!
Direção de rafaem Chuck Martins
ano: 2009
Duração: 11’11”



12h30

Trio Mistura e Manda
Local: Concha Acústica da UFSC

Trio Mistura e Manda toca choro e música instrumental. Um repertório que vai dos choros tradicionais do início do século XX às melodias contemporâneas da nova música brasileira. Esse repertório é explorado com energia e suavidade por um bandolim, um violão de sete cordas e um pandeiro.


15h

Intertela III
Local: Sala preta (402) - CCE/UFSC

A proposta tem como objetivo reunir videopoemas de até 5 minutos em DVD, a fim de divulgar e refletir sobre um gênero que se consolida como arte poética audiovisual. A mostra tem interesse em congregar trabalhos e reunir artistas e pesquisadores de Literatura, Cinema, Teatro e outras áreas afins para apresentação, discussão de novos gêneros híbridos com os artistas que se disponham a testar essa experiência. Há o interesse em atingir um público diversificado, para experimentar, divulgar e discutir esses bens culturais que adotam fronteiras entre linguagens como manifestação artística...

Esse encontro torna-se possível graças ao empenho de dois núcleos - o NELOOL ( Núcleo de Estudos de Literatura, Oralidade e Outras Linguagens ) e o LEC ( Laboratório de Estudos de Cinema).

Comissão Organizadora: Alai Diniz; Henrique Finco; Clelia Mello; Aglair Bernardo; Daniela Bunn.

Breve Histórico:

O INTERTELA I ocorreu na sala Multimeios do CIC, no dia 30 de novembro de 2007, das 15 a 22 horas, em duas sessões de projeção com 22 videopoemas.
Comissão organizadora: Alai Diniz, Henrique Finco; Daniela Bunn; Aglair Bernardo; Aline quites e Aline Maciel.

O INTERTELA II ocorreu na sala 402 do Curso de Artes Cênicas durante a Semana de Arte Ousada da UFSC.
Comissão Organizadora: Alai Diniz; Henrique Finco; Clelia Mello; Aglair Bernardo e Daniela Bunn.



Debate: A metafísica da linguagem nas veredas do Grande Sertão
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC
com Luiz Rohden


16h

Husserl e Kandinsky: em busca da arte ideal
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC
com Vanessa Fontana


17h

A arte como criadora do real
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC
com Davi de Souza


18h

Molécula Sônica
Local: CED - UFSC

A Molécula Sônica constituiu-se no ano de 2005, na cidade de Florianópolis (SC), com o encontro do guitarrista e artista gráfico Galvão com a pianista e violoncelista Tatyana e a violonista e também artista plástica Flora. O objetivo do grupo é criar um universo particular e caracterizado por uma atmosfera lúdica e onírica. Esse universo surge a partir de uma espécie de apropriação contracultural e dionisíaca de instrumentos associados à cultura dita “clássica” ou “erudita”, dito de outra forma, a partir da idéia de que podemos escolher nossas próprias categorias e o que é musicalmente apropriado – seja isso bonito, feio, afinado, estranho, simples, dissonante, complexo ou ruidoso.

Integrantes:

Galvão - guitarrista e artista gráfico
Tatyana - pianista e violoncelista
Flora - violonista e artista plástica


19h

Mostra Curtas Adulto UNISUL-UDESC (3º dia)
Local: Museu da Escola Catarinense
Público: Adulto

Curadoria: Fátima Costa Lima e Sandra Meyer


VELUDO E CACOS DE VIDRO
Um casal sem-vergonha e seu mundo grotesco.
Direção de Marco Martins
ano: 2004
Duração: 17’30”

MNÉSIA
Entre o passado e o futuro, há transformação?
Direção de Oscar Júnior
ano: 2007
Duração: 15’

546
Experimentação com fotografia pin hole aborda diversas situações lúdicas.
Direção de Rodrigo Ambrósio
ano: 2008
Duração: 5’30”

DEEP SPACE WORMS
Ficção científica trash narra a busca de um ser humano autêntico por estranhos extraterrestres.
Direção de Richard Valentini
ano: 2009
Duração: 12’30”

LOREM IPSUM
O universo beckettiano testado na busca desesperada pela salvação de um amigo.
Direção de Guilherme Thomazi
ano: 2009
Duração: 11’



Debate: A tradução como problema filosófico:
As “Explicações da poesia de Hölderlin” de Heidegger
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC
com Claudia P. Drucker


20h

Sobre Cézanne
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC
com José Maria Dias da Cruz


Espetáculo "Triângulo Escaleno"
Local: Teatro DAC - UFSC

Dr. Carneiro encontra o amante de sua esposa trancado no armário do seu quarto. É assim, cheia de imprevistos, diálogos de gentilezas e mutuo entendimento que esta comédia de Silveira Sampaio retrata, satiricamente, os costumes da sociedade carioca dos anos 50.

Gênero: Comédia

Direção e Produção: Carin Dell’Antonio e Mara Maria
Elenco: Chico de Nez, Carin Dell’Antonio e Édio Nunes

Duração: 50 minutos


VIII Mostra Dança CEFID (UDESC) - Primeiro Ato

Local: Teatro Pedro Ivo

Os ingressos podem ser adquiridos na semana do evento (21 a 24 de setembro) na bilheteria do Teatro Pedro Ivo ou Ademir Rosa (CIC), a partir das 13 horas em troca de 1kg de alimento não-perecível.

1. GRUPO DE DANÇA DO CEFID
Dança Contemporânea “Perfume” de Aryanna Vieira Scotti
Duração: 4’00

2. ESTAÇÃO DANÇAR
Ballet Clássico de Repertorio “Cupido - II Ato de Don Quixote” de Marius Petipa
Duração: 2’00

3. CENTRO EDUCACIONAL PROF.CACILDO ROMAGNANI-CAIC
Dança Folclórica “Balho da Povoação” de Graziela Pereira
Duração: 4’00

4. STUDIO DE DANÇA DO INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO
Jazz “Metrópole New York” de Geovana Vieira e Kleber Faisca
Duração: 5’53

5. ESCOLA DE DANÇA ATHENÈ TAMISIER
Danças Populares “Alegria Parisiense” de Athenè Tamisier
Duração: 5’43

6. GINÁSTICA RÍTMICA DA ADIEE-FME-UDESC
”Demonstração” de Maria Helena Kraeski
Duração: 6’00

7. FEELING GRUPO DE DANÇA DA ACADEMIA ATTITUDE
Dança de Rua “Sintonia” de Cati Borba
Duração: 4’20

8. GRUPO DE DANÇA FAZENDO CORPO MOLE
Dança Contemporânea “Quando Nós Somos Você” de O Grupo
Duração: 6’30

9. GRUPO ALMA NEGRA
Afro Danças Populares “Festana Senzala” de Maria Aparecida
Duração: 6’00

10. CIA DE DANÇA CACÁ BERKA
Jazz “Make it Fun” de Clarissa Berka
Duração: 3’40

11. CENTRO EDUCACIONAL PROF.CACILDO ROMAGNANI-CAIC
Dança de Salão “Salsa” de Ed Charles Leite e Graziela Pereira
Duração: 4’00

12. GRUPO SEED'ANCE
Dança de Rua “Seed'uo” de Diego Furtado Tavares e Juliana Souza Querino
Duração: 2’40

13. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL MANOEL BOAVENTURA FEIJÓ - APAE DE FLORIANÓPOLIS
Dança Contemporânea “Jogos e Brincadeiras” de Ana Luisa Ciscato
Duração: 8’00

VIII Mostra Dança CEFID (UDESC) - Segundo Ato

1. GRUPO DE DANÇA DO CEFID
Dança Contemporânea “Lamento” de Aryana Vieira Scotti
Duração: 6’00

2. ESTAÇÃO DANÇAR
Ballet Clássico de Repertorio “Talismã - Variação Feminina” de Marius Petipa
Duração: 2’00

3. GRUPO DE DANÇA UNIVALI
Jazz “Atlas” de Leandro de Ávila
Duração: 6’00

4. CIA DE DANÇA TWIST
Dança de Salão “Troca de Pele” de Criação Coletiva
Duração: 4’00

5. ESCOLA DE DANÇAS DO ORIENTE YASMIM MEERA
Dança Árabe Clássica “A Paixão Pela Entrega” de Yasmin Meera
Duração: 4’00

6. GRUPO DE DANÇA DO CEFID
Dança Contemporânea “Quatri” de Criação Coletiva
Duração: 3’00

7. SO CHARM
Dança de Rua “Jost So” de Rafaelle de Oliveira, Renan Peies e Simone Cherem
Duração: 4’28

8. PROJETO EXTENSÃO - GRUPO DE DANÇA UNIVALI
Dança Contemporânea “Ego” de Leandro de Ávila e Mauro Sérgio Santos Filho
Duração: 4’00

9. KHALA GRUPO DE DANÇA
Dança Contemporânea “Depois de Ter Você” de Marcelo Cavalcanti
Duração: 4’00

10. CIA ALMA NEGRA
Jazz “Style” de Maria Aparecida e Maria Morena
Duração: 5’00

11. UMA CIA DE DANÇA
Dança Contemporânea “Resiliência - Fragmentos” de Deivison Garcia
Duração: 7’00

12. CIA DE DANÇA NANDO BERTO
Dança de Salão “Entre Nós” de Nando Berto
Duração: 2’00

13. HIP HOP SOUL
Dança de Rua “Mov&Danças” de Bruno de Carvalho
Duração: 5’00


20h30

Tentacle Ensemble Collective: "Urbanóide & Bobby Fischer"
Local: Auditório Garapuvu - Centro de Cultura e Eventos/UFSC

Ação Social: Troca de ingresso por Kit Higiênico (sabonete e pasta dental), que pode ser feita hoje, até as 17h, no Núcleo de Comunicação do Ceart/UDESC.

Neste caso, o coletivo ressignifica a mente matemático-abstrata contextualizando-a em um panorama urbano. Propondo assim, uma manobra onírica cuja interpretação realista desembarca no cotidiano. O tabuleiro, nesse caso, é um simulacro da sociedade onde as peças e público são devorados em rituais catárticos. Quando Bobby Fischer morreu, a mágica da lógica morreu com ele. A performance "Urbanóide & Bobby Fischer" não é uma homenagem, é, antes disso, uma tentativa de perfilar o comportamento desse monstro contraditório.

23 de set de 2009

Programação QUARTA-FEIRA, 23/09

Oi, tudo bem? Segue novamente a programação do dia. Hoje, quarta-feira, começam os debates sobre filosofia, arte e estética. São quatro colóquios, das 16h às 20h, para a discussão da dos pressupostos conceituais da arte contemporânea. Todos ocorrem no mini-auditório do CFH.
Confira o itinerário completo dessa quarta:


9h às 19h

Mostra[dois]: A entropia das coisas
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Conversa com artistas: hoje, 22/09 às 18h
Abertura da exposição: 22/09 às 19h

Para a física e a termodinâmica o termo entropia conceitua uma medida associada ao grau de desordem, aplicado quando a energia é dissipada em forma de calor ao invés de ser transformada em trabalho. Esse conceito nos remete à espontaneidade dos fenômenos do universo, levando a crer que ele aponta para um estado de caos.

Nas artes, o termo entropia foi aplicado para conceituar diversos procedimentos contemporâneos. Questões sobre as concepções matéricas, sobre o espaço da obra e seu entorno, as explorações das percepções e sensações do espectador, os trânsitos e as barreiras entre significados e significantes, o engano, o engodo, o trompe l'oeil, enfim, tudo aquilo que cause instabilidades e questionamentos nas referências e entendimento do público.

A Exposição Mostra [dois]: a entropia das coisas, que acontece esse ano novamente junto à Semana Ousada de Artes UFSC & UDESC, apresenta uma proposta curatorial trazendo 11 trabalhos reunidos sobre o mesmo tema, o estado de desordem das coisas.

Artistas: Ana Clara Joly, Bruno Ropelato, Claudia Lira, Francis Pedemonte, Ghysa Rocha, Gibran Romão, Graciela Kruscinski, Jorge Luiz Miguel, Leandro Serpa, Lílian Barbon, Maximilian Tommasi, Priscilla Menezes e Zero Grupo

Curadoria: Francine Goudel e Giorgio Filomeno

Projeto Educativo: Júlia Pinto

Mediação: Gabriela Caetano


Exposição Modateca do CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

A Modateca preserva os elementos representativos da cultura material de moda e de vestuário catarinense, para subsidiar as atividades de ensino, pesquisa e extensão no Centro de Artes e contribuir para a formação de uma memória cultural têxtil em Santa Catarina. O acervo se compõe de peças do vestuário, trajes, coleções, fotografias, fitas de vídeo e CDs, cadernos de tendências, acessórios (chapéus, luvas, jóias, calçados, bolsas) e o material produzido por alunos e professores do Curso de Moda. Integram o Programa as ações Modateca Virtual; Reminiscências de Moda Olga Mafra: referência de elegância nos anos de 1950; Preservação do acervo da Fototeca; Desfile de Formandos; Incursões da Moda na Agenda Cultural da Grande Florianópolis.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna

Exposição Teciteca do CEART / UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Coordenadora: Profª Drª Sandra Regina Rech

A Teciteca do Centro de Artes é um programa de extensão que tem como objetivo geral fornecer subsídios aos profissionais da área de moda e à comunidade em geral para atuar em processos da cadeia produtiva têxtil. Para divulgar as informações técnico/cientificas e atualizadas do substrato têxtil à comunidade empresarial, acadêmicos e profissionais de moda, a Teciteca conta com dois projetos: “Novas tendências Têxteis, Manutenção e Atualização do Acervo da Teciteca" e "Teciteca Virtual”, além de um Curso/Evento de extensão. Seu acervo conta com aproximadamente 2000 bandeiras têxteis. Endereço eletrônico: www.udesc.br/teciteca


Ecomoda – CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

Coordenadores: Profª Msc. Neide Köhler Schulte e Prof Msc. Lucas da Rosa

A exposição “Ecomoda: Primavera Silenciosa” será apresentada durante a Semana Ousada. Assim como o alerta de Rachel Carson, no livro “Primavera Silenciosa”, de 1962, a exposição quer chamar a atenção para o uso dos agrotóxicos e outros produtos químicos lançados no meio ambiente. Na produção do vestuário, desde a matéria prima até o pós- uso das roupas, ainda há muita contaminação do meio ambiente com produtos químicos. O uso de tecidos orgânicos, tecidos reciclados e reutilizados é a proposta apresentada na exposição.

O Programa de Extensão EcoModa desenvolve atividades com a comunidade no intuito de disseminar o desenvolvimento sócio-ambiental sustentável através da Moda. São desenvolvidos cursos, oficinas, palestras, exposições e desfiles onde são criados e apresentados diversos produtos desenvolvidos a partir de reuso, reciclagem e uso de materiais orgânicos. É uma proposta para uma moda que une estética e ética.

Publicar Moda da UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

O Publicar Moda visa socializar as reflexões acadêmicas resultantes das atividades de pesquisa, extensão e ensino do corpo docente do Curso de Moda a toda a comunidade acadêmica nacional, para tal realiza a busca constante de fontes para publicação e divulgação de trabalhos científicos dos professores do Curso de Moda; viabiliza a publicação anual da série Modapalavra e trimestralmente da revista Modapalavra E-periódico; organiza e operacionaliza o conselho editorial da publicação; promove os Seminários de Pesquisa do Departamento de Moda; mantém informativo dos diversos eventos realizados no país e internacionalmente para o corpo docente e alunos do curso de Moda e para qualquer interessado a partir de seu periódico eletrônico; auxilia na editoração e supervisão do suporte material da série Modapalavra.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna


SCMC (Santa Catarina Moda Contemporânea) da UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense

O projeto Santa Catarina Moda Contemporânea – SCMC foi criado em 2004 por três empresários catarinenses. Tem como objetivo transformar o estado de Santa Catarina, que tem reconhecimento nacional como industrial e corporativo, em referência no design e na moda, através de uma construção de imagem mais contemporânea e de vanguarda. As ações compreendem uma interação e autoconhecimento das empresas e de um exercício de construção de uma nova possibilidade de produtos que alunos trazem, proveniente da sua visão inovadora.
O projeto tem como lema - unir para crescer, unir para aprender, unir para vencer.
A indústria mais design mais escola é igual ao um novo olhar.
O departamento de Moda da UDESC é parceiro desta iniciativa deste a sua criação, o programa Santa Catarina Moda Contemporânea / UDESC é a formalização desta parceira.

Coordenadora: Profª Eliana Gonçalves

Exposição Design UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Estarão expostos Projetos de Identidade Visual, Projetos Gráficos Editoriais, Projetos de Embalagens, Animações, Cartazes, Ilustrações, Peças Gráficas Promocionais, Fotografias, Modelagem Tridimensional, Projetos de Produtos, entre outros.


Design UFSC
Local: Sala Laranjeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC


9h às 22h

Exposição Coletiva da AAPLASC – Homenagem a Max Moura
Local: Galeria de Arte da UFSC

Organização: Associação de Artistas Plásticos de Santa Catarina


Intervenção Circuito Nova Paisagem
Local: Hall Centro de Cultura e Eventos UFSC


Minha mãe é frágil
Eu tenho raiva dela
Eu sou parecido com minha mãe
Eu tb. Sou muito frágil
Deus tb. É frágil
Eu tenhho raiva de deus, por isso
Eu tb. Sou muito frágil
Eu sou deus

Artista-propositor: Allison Silva “Tizo”


“Corpo Masculino, Olhares Femininos"
Local: Sala Goaibeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Zulma Borges


"SYMBIOSIS" - Grupo de Gravura Cidade de Florianópolis
Local: Hall da Reitoria da UFSC

Figurinos de Cinema
Local: Hall da Reitoria UFSC
Organização: Lou Hamad


Trajos Folclóricos dos Açores
Local: Espaço Cultural do NEA - Núcleo de Estudos Açorianos
Organização: Joi Cletison Alves

“Arquitetura do Imaginário"
Local: Sala Pitangueira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Alina Santiago e Américo Ishida

“Arquitetando Sentidos: Imagens, Som, Espaço e Movimento"
Local: Sala Aroeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Cesar Floriano dos Santos


11h às 11h30

Mostra Curtas Infantil UNISUL-UDESC
Local: Museu da Escola Catarinenese - UDESC

Curadoria: Fátima Costa Lima e Sandra Meyer

Eu Soldadinho, Ela Bailarina
Direção de Adriana Gama
ano: 2006
Duração: 13’37”

Leste do sol, Oeste da Lua
Direção de Patrícia Monegatto Lopes
ano: 2008
Duração: 12’19”

Joãozinho, Bu!
Direção de rafaem Chuck Martins
ano: 2009
Duração: 11’11”



12h30

Banda Cerveja Grátis
Local: Concha Acústica da UFSC


14h

Improvisação "Estratégia"
Local: Hall do CCE (Básico)

Estratégia é uma proposta de intervenção urbana de aproximadamente 30 a 40 minutos que busca como investigação o encontro entre a dança e o teatro (ou o lugar onde os dois se tocam). O enfoque da pesquisa é dado ao trabalho com livre associação, o acaso e o uso livre de objetos e espaço, a partir de tarefas, jogos e regras um grupo de 10 a 15 pessoas dialoga com o próprio corpo, com o corpo do outro, o corpo coletivo e com o ambiente.

O Grupo de Pesquisa Mergulho no Corpo e o Ronda Grupo de Dança e Teatro, apresentam esta proposta como processo de investigação e pesquisa entre movimento e ambiente e a improvisação como construção de cena.

Realização: Grupo de Pesquisa Mergulho no Corpo (Ronda Grupo de Dança e Teatro)
Concepção: Claudia Sachs e Zilá Muniz
Direção: Zilá Muniz
Integrantes: Diogo Vaz Franco, Egon Seidler, Elisa Schmidt, Karina Degregório, Lara Matos e Nastaja Brehsan
Músicos: A Corda em Si (Mateus Costa e Fernanda Rosa)


15h

Mostra de Curtas na UFSC

Local: Sala Preta CFM (402) Curso de Cinema - Entrada pelo CCE - UFSC

Curadoria: Aglair Bernardo, Clelia Mello e Rosana Kamita

Atrás do Beco
Alessandro Danielli
Duração: 7’16”

Tudo o que você quis saber sobre um motorista de ônibus mas desceu antes de perguntar
Alessandro Danielli, Luara Gonzalez, Maria Cecilia Castiñera, Taynah Miranda e Tays Peceguine
Duração: 5’

Código de Barras
André Barcellos e Jefferson Moreira
Duração: 4’

Quasímodo
Tiago Rosso, Diego Taguai e Sandro Kobol Fornagari
Duração: 6’

Love me, please
Juliana Lourenção
Duração: 2’45”

A caverna
Ana Carolina Martins, Bruno Oss, Luara Gonzales, Maira Costa, Marlon Krüger, Rania Swidan, Renata Alvetti, Sandro Kobol, Vitor de Oliveira
Duração: 5’35”

Desordem
Denise Szabo, Luísa Novo e Vanessa Gasparelo
Duração: 4’30”

O espectador
Debora Rossetto, Fernando Tomaz, Joana Bedin, Louise Krieger
Duração: 13’25”

Rapsódia
Jonatan dos Santos e Roberson Hoberdan Correa
Duração: 5’30”

O soco silencioso
Lucas Moreira
Duração: 14’

Corpo
Fabíola Scaranto
Duração: 15’

Belgium
Eduardo Fernandez Peral (Espanha)
Duração: 35’



15h30

Coral da Licenciatura UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Coordenador: Kleber Alexandre


16h

Debate: Restauração, restituição. Arte e Filosofia
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC
com Raúl Antelo


17h

Debate: A arte da conceituação e a conceituação da arte contemporânea
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC
com Nestor Habkost


18h

Orquestra UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

coordenador: João Eduardo Titton

O Projeto ORQUESTRA UDESC teve início nos anos 80 com o Professor Luis Soler como Orquestra de Câmara UDESC. Após alguns anos de interrupção o trabalho se reiniciou em 2001 tendo como seu coordenador o Professor João Eduardo Titton. Durante estes anos a Orquestra vem participando em diversos projetos culturais e concertos didáticos. Participou de projetos junto ao NEM (Núcleo de Educação Musical), Museu Cruz e Souza no projeto Escola no Museu, com a Associação Coral de Florianópolis no CIC/2004, Projeto Orquestra nas Escolas/2006, Projeto Música nos Museus /2007 bem como nas apresentações anuais do Programa UDESC MUSICAL no TAC entre outros.


Orquestra de Câmara da UFSC
Local: CSE-CCJ/UFSC

O Projeto Orquestra de Câmara da UFSC tem por objetivo fomentar e difundir a música instrumental, proporcionando aos músicos em potencial, que compõe o corpo estudantil desta universidade, espaço para desenvolver seus potenciais artístico-musicais. O projeto também visa divulgar a música erudita e popular, através de apresentações e com isso incentivar a formação e a cultura local; incentivar sua participação no processo de interação entre Universidade e Sociedade; aprimorar o processo de ensino-aprendizagem através do envolvimento de estudantes em atividades de extensão;

Este é um projeto do DAC (Departamento Artístico cultural – SecArte.

Regente do grupo: Mirian Moritz


19h

Colóquio: Ontologia da Obra de Arte em Thomasson
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC
com Débora Pazzeto


Perfomance: Contos Maravilhosos de Kurt Schwitters
Local: Bosque do CFH

Performer: Gabriela Nascimento (camundongo), Heloísa da Rosa Silva (coelho) Anderson Vambommel (galo) e Luciane Mendes Probst (coruja)
Direção de cena: Maria Aparecida Barbosa e Zilá Muniz
Assistente de palco: Eliziana Junckles


Mostra Curtas Adulto UNISUL- UDESC (2º dia)
Local: Museu da Escola Catarinense
Público: Adulto

Curadoria: Fátima Costa Lima e Sandra Meyer


CRÔNICA DE UMA MORTE INESPERADA
Mulher recorda sua vida. Família, juventude e maturidade. Mas onde ela está?
Direção de André Humeres
ano: 2007
Duração: 12’

SOFIA
Os desencontros de uma jovem à busca de si mesma, imersa no ambiente musical dos anos 80.
Direção de Alexandre Franco
ano: 2008
Duração: 16’30”

CONTRA PELOS
Uma cabeleireira ciumenta num relacionamento possessivo. Homenagem a Almodóvar.
Direção de Danilo Seeman
ano: 2008
Duração: 18’30”

O CARTEIRO
Todo dia ele faz tudo sempre igual: entrega cartas. Até que resolve fazer parte da vida dos destinatários e remetentes.
Direção de Marcos Berghan



20h

Teatro: "Alguma coisa partiu-se dentro dele"

Local: Laboratório 1 - CEART / UDESC

Doente de solidão. Sob um céu sem memórias de manhãs nem esperanças de noites. Mas eram apenas crises, e são coisa pouca as crises, em vista de tudo que não termina nunca, que não conhece nem fluxo nem refluxo. O que já tinha de estragado só se estragou cada vez mais, pouco a pouco. Estamos em busca de qualquer coisa que nos impeça de perder o fio do sonho. Então gritemos, dizem que faz bem.

Direção: Ana Luz
Elenco: Karine Cupertino e Ricardo Oliveira
Iluminação e Cenografia: Ana Luz
Costureira: Marlene de Oliveira
Design Gráfico: Diogo Vaz Franco
Duração: 30min.


Perfomances Cênicas
Local: CFH/UFSC

Alemdo
A experiência humana dentro da máquina

Performer: Thaís Penteado Ferreira (Artes Cênicas/UFSC)

Acadenemia
A performance trata de uma dissecação surreal das práticas acadêmicas, mas mesmo assim cristalina. Na selva de xeroxes, resta a pergunta: Quanto tempo até a universidade devorar você?

Performer: Araeliz (Artes Cênicas/UFSC)

Monotonia do Contorno
Através de movimentos corporais e exposição de relógios e seus ponteiros, os performers apresentarão a desconstrução corporal que o tempo provoca. A idéia é de refletir no corpo todos os desdobramentos que a pessoa precisa efetuar ao longo de seu dia e de sua vida, desdobramentos que são ditados, de certa forma, pelo relógio, pelo tempo cronológico.

Performers: Claudinei Sevegnani e Tamara Hass (Artes Cênicas/UFSC)

Mal estar
Na escuridão da noite nossos temores tomam forma e nos oprimem, somos assombrados por medo, dor e culpa. As respostas estão lá junto ao mal estar. A questão maior é nossa própria humanidade.

Performers: Ilze Körting e Ricardo Goulart (Artes Cênicas/UFSC)

Mulheres Mutiladas
O corpo que sangra, a ferida sempre exposta, a dor muda. A alma revela aos olhos aquilo que se finge não ver. Mutilada nos sonhos, mutilada no corpo, mutilada na mente. Uma visão sobre as diversas formas de mutilação que a mulher sofre ou se permite sofrer, na sociedade, em casa, nos seus próprios pensamentos...

Performer: Daniela Antunes (Artes Cênicas/UFSC)

Mulheres Interrompidas
A performance trata-se de uma crítica à sociedade que culpa e cala a mulher violentada sexualmente ao invés de exigir justiça dos verdadeiros culpados. Além da violência absurda da qual a mulher foi submetida, a vítima de estupro sofre de discriminação social e acaba por calar-se e aceitar uma culpa que não é sua.

Performer: Dida Disconzi (Artes Cênicas/UFSC)

TictacToy
A performance expressa a forma como o ser humano organiza o seu tempo, fazendo com que muitas vezes ele se torne uma espécie de robô manipulado por relógios.

Performer: José Oliveira (Artes Cênicas/UFSC)

Fungo interior na caótica síntese molecular
O que eu sou? O que quero ser? Por que temo o mundo? Por que as pessoas parecem me intimidar? Por que não se odiar? As respostas eu encontro no meu fungo interior, que cresce e clama por se exteriorizar na agonia silenciosa, porém aparente.

Performer: Liana Santos da Silva (Artes Cênicas/UFSC)

DEUS
Do barro fez o homem/O barro... /Água e poeira cósmica do universo/Universo/Lado, verso /Uni, duni, tê...Um lado /Um lado que se vê /Num reflexo/Numa sombra de caverna grega.../Num espelho quebrado em mil partes Mil partes que o homem pega/Cada um..../Se agarra,/Se vê, /Se idolatra,/Se engana,/Se rasga,/Se machuca,/Se mata. Cacos de espelho/Cacos desmontados do espelho/Cacos desmontados do espelho que veem Deus.../E fogem da luz. Espelhos que fogem da luz/Do pensamento/Da consciência/Da ciência./A luz, só a luz/Espelho sem luz, sem imagem. Que vira moldura de um quadro velho e de um perfil corroído/Uma corrosão que brota na criadora criatura/No pseudosábio. Ignorante que não sabe usar o espelho e corta/Que não sabe usar o espelho e não se vê/Que não sabe/Pseudo-sábio. Ateu./Pseudo-falso/Falso falso falso sábio/Sábio verdadeiro sabe/Sabe sem crer/Crer verbo, ação, começa e termina...Sapiência, adjetivo... qualidade... não se perde.../Sábios vêem a luz.../Deus/Em mim/Em ti/Nele/Aqui/Alí/Lá. Energia suprema /Sem jogo de dados com o universo/Amor, justiça, harmonia, sabedoria, esperança, alegria, alegria, alegria...Aqui, ali, lá/Aqui, ali, lá/Em mim, em ti, nele.../Na flor/No bambolê/No espelho.../Do barro fez o homem. Deus também está no barro.../O homem foge de Deus, foge do barro, foge de si, e se esconde na lama...E acha Deus, que também está na lama, na água, no pó.../E foge pras estrelas. Onde um bambolê gigante mostra o tamanho da barro... /Sem tamanho. Corre pro homem e nele encontra Deus,/Vós sois deuses, “d” minúsculo, mas deuses. Na molécula de água-amor, no cérebro, no DNA /Barro/O barro do qual fez o homem... lá Ele está. E o homem foge pra única coisa que é o seu destino/Deus...

Performers: Carlos Silva, Luiz Gustavo Bieberbach Engroff e Rodrigo Carrazoni (Artes Cênicas/UFSC)

O Ciclo das Bananas
Qual a dosagem de elementos artísticos que denuncia uma ação como sendo representativa/estética? Quais elementos em quais níveis de intensidade levam a percepção daquele que vê ao campo da conceituação artística? Caso aconteça, em qual ponto a testemunha vira espectador, o cidadão “comum” vira artista e a ação cotidiana vira arte? "O Ciclo das Bananas" prevê a realização de ações performáticas que investigam estas questões. O trabalho acontece em uma esfera límbica entre a representação e a ação e, na exploração dos limites entre arte e vida, questiona os papéis que cumprem artista e espectador no fazer artístico contemporâneo.

Concepção e execução: Cleístenes Grött (convidado)

Teia
Que obstáculos interferem o seu caminho?

Performer: Zeca Rocha




Debate: Filosofia da arte e arte da filosofia
Local: Mini-auditório do CFH, sala 328 - UFSC
com Nazareno de Almeida


20h30

Verbais “Ninho de Palavras”

Local: DAC - Teatro da UFSC

Remontagem atualizada, com alunos da Oficina Permanente de Teatro do Departamento Artístico Cultural (DAC), da UFSC, a partir de um roteiro de poemas.

O espetáculo mescla linguagens, mímicas, poéticas, dança, teatro com a Oficina Permanente de Teatro (OPT). Com textos dos poetas: Paulo Leminski, Nicolau Flores (Márlio Silva), João Jacinto (Portugal) e Garcia Lorca, o andaluz espanhol que igualmente foi um grande dramaturgo autor de Bodas de Sangue, A Casa de Bernarda Alba, dentre outros textos teatrais. A presença feminina na seleção dos textos recaiu sobre a Poetisa Goiana Cora Coralina. A diversidade das linguagens cênicas coincidem com a diversidade das linguagens poéticas particulares dos escritores. Esta opção referencia dois importantes aspectos: a amplidão do universo da criação, chegando em alguns momentos a parecerem universos antagônicos como a poesia memorialista de Cora Coralina ou os versos contemporâneos de Leminski: ou ainda a densidade reveladora da ontologia dos versos de João Jacinto, diante da ácida e humorada poesia de Nicolau Flores, um pequeno poema de Calu d.Aranda, prepara ao universo mais onírico das palavras do espanhol Lorca, e o seu celebre "Verde que te quiero verde" encerram Verbais: Ninho de Palavras.

As poesias são interpretadas pontuando um trabalho corporal acentuado, bem como uma coreografia capaz de propiciar aos atores uma maior profundidade aos poemas escolhidos.

Direção: Carmen Fossari
Elenco: Alunos da OPTT II e III: Eliana Bär, Bruno Leite, Cléia R. Canatto, Eloisa Dornelles, Gabi Borges, Gabriel Orcajo, Jeane Siqueira, Lucia Amante, Mariana Lapolli, Rubia Medeiros, Lucíola Zanirato e Luiza S. Souto.
Atores Convidados: Augusto Sopran (mímico) e Nei Perin - ex-alunos da OPT.



"Casamento Aberto, quase escancarado"
Local: Auditório Garapuvu - Centro de Cultura e Eventos/UFSC

Ação Social: Troca de ingresso por Kit Higiênico (sabonete e pasta dental), que pode ser feita hoje, no Núcleo de Comunicação do Ceart/UDESC, até as 17h.

As loucas peripécias do casal ao tentar manter o casamento através de um “casamento aberto” criam um carrossel de situações hilariantes que tem arrebatado a platéia.

Casamento Aberto (Coppia Aperta) foi escrita em 1983 pelo casal Dario Fo (Prêmio Nobel de Literatura 1997) e Franca Rame logo após o grande impacto causado pela peça Tutta Casa Letto e Chiesa composta de monólogos sobre a condição da mulher e que se tornou mais conhecida entre com o título de Brincando Em Cima Daquilo.

Direção de Régius Brandão
Protagonista: Antonella Batista
ano: 2009
Duração: 13’

22 de set de 2009

Programação TERÇA-FEIRA, 22/6

Bom dia, ousados! O show do Teatro Mágico ontem foi um sucesso. Duas horas e meia de manifestações teatrais, musicais, circenses e até sociais! As mais de 1200 pessoas presentes no auditório Guarapuvu, que superlotou, saíram de lá mais leves.
Segue a programação de hoje, terça-feira, dia 22. Lembrando que todas as 16 exposições da 2ª Semana Ousada de Artes UFSC UDESC ficam abertas durante os seis dias da Semana Ousada, e são gratuitas. Confira mais informações no site oficial da Semana Ousada, basta clicar aqui.

9h às 19h

Mostra[dois]: A entropia das coisas
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Conversa com artistas: hoje, 22/09 às 18h
Abertura da exposição: 22/09 às 19h

Para a física e a termodinâmica o termo entropia conceitua uma medida associada ao grau de desordem, aplicado quando a energia é dissipada em forma de calor ao invés de ser transformada em trabalho. Esse conceito nos remete à espontaneidade dos fenômenos do universo, levando a crer que ele aponta para um estado de caos.

Nas artes, o termo entropia foi aplicado para conceituar diversos procedimentos contemporâneos. Questões sobre as concepções matéricas, sobre o espaço da obra e seu entorno, as explorações das percepções e sensações do espectador, os trânsitos e as barreiras entre significados e significantes, o engano, o engodo, o trompe l'oeil, enfim, tudo aquilo que cause instabilidades e questionamentos nas referências e entendimento do público.

A Exposição Mostra [dois]: a entropia das coisas, que acontece esse ano novamente junto à Semana Ousada de Artes UFSC & UDESC, apresenta uma proposta curatorial trazendo 11 trabalhos reunidos sobre o mesmo tema, o estado de desordem das coisas.

São proposições conectadas sob o signo do caos ou através desta tendência dispersiva da natureza entrópica: uma mesa de jantar que nunca se organiza (imagem que serviu de gatilho para nosso pensamento entrópico), o trajeto errático de uma bola de futebol durante a partida, um corpo em desequilibrio e queda, a apropriação e empilhamento na composição de sons e imagens em movimento, a pintura gestual, a conexão em rede do artista com seus próximos, a repetição serial de porções do corpo do artista em diferentes estados projetados, vividos ou imaginados ou um jogo de presença e ausência na re-significação de objetos cotidianos.

Relações nítidas de uma instabilidade na ação, fatura, poética ou processo e a sutileza que re-apresenta o que tende a ser o caos que nos envolve.

Artistas: Ana Clara Joly, Bruno Ropelato, Claudia Lira, Francis Pedemonte, Ghysa Rocha, Gibran Romão, Graciela Kruscinski, Jorge Luiz Miguel, Leandro Serpa, Lílian Barbon, Maximilian Tommasi, Priscilla Menezes e Zero Grupo

Curadoria: Francine Goudel e Giorgio Filomeno

Projeto Educativo: Júlia Pinto

Mediação: Gabriela Caetano


Exposição Modateca do CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

A Modateca preserva os elementos representativos da cultura material de moda e de vestuário catarinense, para subsidiar as atividades de ensino, pesquisa e extensão no Centro de Artes e contribuir para a formação de uma memória cultural têxtil em Santa Catarina. O acervo se compõe de peças do vestuário, trajes, coleções, fotografias, fitas de vídeo e CDs, cadernos de tendências, acessórios (chapéus, luvas, jóias, calçados, bolsas) e o material produzido por alunos e professores do Curso de Moda. Integram o Programa as ações Modateca Virtual; Reminiscências de Moda Olga Mafra: referência de elegância nos anos de 1950; Preservação do acervo da Fototeca; Desfile de Formandos; Incursões da Moda na Agenda Cultural da Grande Florianópolis.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna

Exposição Teciteca do CEART / UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Coordenadora: Profª Drª Sandra Regina Rech

A Teciteca do Centro de Artes é um programa de extensão que tem como objetivo geral fornecer subsídios aos profissionais da área de moda e à comunidade em geral para atuar em processos da cadeia produtiva têxtil. Para divulgar as informações técnico/cientificas e atualizadas do substrato têxtil à comunidade empresarial, acadêmicos e profissionais de moda, a Teciteca conta com dois projetos: “Novas tendências Têxteis, Manutenção e Atualização do Acervo da Teciteca" e "Teciteca Virtual”, além de um Curso/Evento de extensão. Seu acervo conta com aproximadamente 2000 bandeiras têxteis. Endereço eletrônico: www.udesc.br/teciteca


Ecomoda – CEART / UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

Coordenadores: Profª Msc. Neide Köhler Schulte e Prof Msc. Lucas da Rosa

A exposição “Ecomoda: Primavera Silenciosa” será apresentada durante a Semana Ousada. Assim como o alerta de Rachel Carson, no livro “Primavera Silenciosa”, de 1962, a exposição quer chamar a atenção para o uso dos agrotóxicos e outros produtos químicos lançados no meio ambiente. Na produção do vestuário, desde a matéria prima até o pós- uso das roupas, ainda há muita contaminação do meio ambiente com produtos químicos. O uso de tecidos orgânicos, tecidos reciclados e reutilizados é a proposta apresentada na exposição.

O Programa de Extensão EcoModa desenvolve atividades com a comunidade no intuito de disseminar o desenvolvimento sócio-ambiental sustentável através da Moda. São desenvolvidos cursos, oficinas, palestras, exposições e desfiles onde são criados e apresentados diversos produtos desenvolvidos a partir de reuso, reciclagem e uso de materiais orgânicos. É uma proposta para uma moda que une estética e ética.

Publicar Moda da UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

O Publicar Moda visa socializar as reflexões acadêmicas resultantes das atividades de pesquisa, extensão e ensino do corpo docente do Curso de Moda a toda a comunidade acadêmica nacional, para tal realiza a busca constante de fontes para publicação e divulgação de trabalhos científicos dos professores do Curso de Moda; viabiliza a publicação anual da série Modapalavra e trimestralmente da revista Modapalavra E-periódico; organiza e operacionaliza o conselho editorial da publicação; promove os Seminários de Pesquisa do Departamento de Moda; mantém informativo dos diversos eventos realizados no país e internacionalmente para o corpo docente e alunos do curso de Moda e para qualquer interessado a partir de seu periódico eletrônico; auxilia na editoração e supervisão do suporte material da série Modapalavra.

Coordenadora: Profª Drª Mara Rúbia Sant'Anna


SCMC (Santa Catarina Moda Contemporânea) da UDESC
Local: Hall do Centro de Cultura e Eventos UFSC - 2º piso

O projeto Santa Catarina Moda Contemporânea – SCMC foi criado em 2004 por três empresários catarinenses. Tem como objetivo transformar o estado de Santa Catarina, que tem reconhecimento nacional como industrial e corporativo, em referência no design e na moda, através de uma construção de imagem mais contemporânea e de vanguarda. As ações compreendem uma interação e autoconhecimento das empresas e de um exercício de construção de uma nova possibilidade de produtos que alunos trazem, proveniente da sua visão inovadora.
O projeto tem como lema - unir para crescer, unir para aprender, unir para vencer.
A indústria mais design mais escola é igual ao um novo olhar.
O departamento de Moda da UDESC é parceiro desta iniciativa deste a sua criação, o programa Santa Catarina Moda Contemporânea / UDESC é a formalização desta parceira.

Coordenadora: Profª Eliana Gonçalves

Exposição Design UDESC
Local: Museu da Escola Catarinense - UDESC

Estarão expostos Projetos de Identidade Visual, Projetos Gráficos Editoriais, Projetos de Embalagens, Animações, Cartazes, Ilustrações, Peças Gráficas Promocionais, Fotografias, Modelagem Tridimensional, Projetos de Produtos, entre outros.


Design UFSC
Local: Sala Laranjeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC


9h às 22h


Exposição Coletiva da AAPLASC – Homenagem a Max Moura
Local: Galeria de Arte da UFSC

Organização: Associação de Artistas Plásticos de Santa Catarina


Intervenção Circuito Nova Paisagem
Local: Hall Centro de Cultura e Eventos UFSC


Minha mãe é frágil
Eu tenho raiva dela
Eu sou parecido com minha mãe
Eu tb. Sou muito frágil
Deus tb. É frágil
Eu tenhho raiva de deus, por isso
Eu tb. Sou muito frágil
Eu sou deus

Artista-propositor: Allison Silva “Tizo”


“Corpo Masculino, Olhares Femininos"
Local: Sala Goaibeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC
Curadoria: Zulma Borges


"SYMBIOSIS" - Grupo de Gravura Cidade de Florianópolis
Local: Hall da Reitoria da UFSC

Figurinos de Cinema
Local: Hall da Reitoria UFSC

Organização: Lou Hamad


Trajos Folclóricos dos Açores
Local: Espaço Cultural do NEA - Núcleo de Estudos Açorianos

Organização: Joi Cletison Alves

“Arquitetura do Imaginário"
Local: Sala Pitangueira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC

Curadoria: Alina Santiago e Américo Ishida

“Arquitetando Sentidos: Imagens, Som, Espaço e Movimento"
Local: Sala Aroeira, 2º Pavimento do Centro de Cultura e Eventos da UFSC

Curadoria: Cesar Floriano dos Santos


11h às 11h30


Mostra Curtas Infantil UNISUL-UDESC
Local: Museu da Escola Catarinenese - UDESC

Curadoria: Fátima Costa Lima e Sandra Meyer

Eu Soldadinho, Ela Bailarina
Direção de Adriana Gama
ano: 2006
Duração: 13’37”

Leste do sol, Oeste da Lua
Direção de Patrícia Monegatto Lopes
ano: 2008
Duração: 12’19”

Joãozinho, Bu!
Direção de rafaem Chuck Martins
ano: 2009
Duração: 11’11”


12h30

Banda Bodoque
Local: Concha Acústica da UFSC

Bodoque é uma banda de rock progressivo e tem suas raízes nos sons e timbres dos anos 70. Suas variadas influências podem ser percebidas em suas músicas. Segundo a banda "as letras tendem ao existencial e ao transcendente pensamento. Um novo som familiar a ser escutado e, se possível, pensado."
www.myspace.com/bodoquerock


15h


Mostra de Curtas na UFSC
Local: Sala Preta CFM (402) Curso de Cinema - Entrada pelo CCE - UFSC

Curadoria: Aglair Bernardo, Clelia Mello e Rosana Kamita

Plano-sequência
Jonatan dos Santos
Duração: 5´

Dro-dro-drogas
Bruno de Oliveira
Duração: 3’40”

11º andar
Bruno Scatena, Carlos Albertos S. dos Santos, Juliana, Lourenção e Rania Suwidan
Duração: 4’

Um disparo
João Artur e Matias Dala Stella
Duração: 3’20”

Corpo
Fabiola Scaranto
Duração: 3’

8 anos
Fabiane de Souza
Duração: 2’15”

As chaves, o mimeógrafo e a prova de matemática
Carolina Guesser
Duração: 12’11”

Encontro
André Barcellos
Duração: 1’14”

Experiência 1
Alessandro Danielli
Duração: 1’40”

A melodia imaginada
Matias Dala Stella
Duração: 1’

Dois amores e um nascimento
Bárbara Andrade
Duração: 2’50”

Apenas um cigarro
Joana Bedin, Luíza Kemp e Nayla Ramalho
Duração: 3’50”

Um sonho noir
Alessandro Danielli
Duração: 5’

O homem com cabeça de papelão
Andréia Rech, Fabíola Scaranto, Jordane Câmara, Nathália Rocha, Nuara Lira P. Lago, Pedro Squizatto, Thiago Silveira
Duração: 13’

Videopoema
Vitor Viana
Duração: 1’12”

Videopoema
João Arthur Emmerich
Duração: 2’07”

Vagalume
Filipe Cargnin, Ana Carolina Alho, Arthur Santos, Cândido Gazzoni, Rita Estrela e Caroline Dalpra
Duração: 20’


18h


Orquestra de Câmara da UFSC
Local: CTC/UFSC

O Projeto Orquestra de Câmara da UFSC tem por objetivo fomentar e difundir a música instrumental, proporcionando aos músicos em potencial, que compõe o corpo estudantil desta universidade, espaço para desenvolver seus potenciais artístico-musicais. O projeto também visa divulgar a música erudita e popular, através de apresentações e com isso incentivar a formação e a cultura local; incentivar sua participação no processo de interação entre Universidade e Sociedade; aprimorar o processo de ensino-aprendizagem através do envolvimento de estudantes em atividades de extensão;
Regente do grupo: Mirian Moritz

18h


Projeto 12:30 Acústico - A Corda em Si: O Som do Vazio
Local: Teatro da UFSC

A Corda em Si conta com os músicos Mateus Costa e Fernanda Rosa. A dupla traz uma proposta de sonoridade com uma formação instrumental raramente encontrada: um contrabaixo acústico e voz. E através desta combinação, A Corda em Si apresenta uma releitura de músicas de autores já consagrados como Chico Buarque e Vinícius de Moraes.


19h

Mostra Curtas Adulto UNISUL- UDESC (1º dia)
Local: Museu da Escola Catarinense

Público: Adulto

A mostra de Curtas reúne produções realizadas por acadêmicos e egressos do curso de cinema da UNISUL. Os Curtas são provenientes de trabalhos de conclusão de curso e do projeto Acervo UNISUL que conta com a Assistência Técnica de Renan Ramos Rocha,. Os curtas selecionados para a Semana Ousada contam com a participação como atores de alunos, ex-alunos e professores do Departamento de Artes Cênicas da UDESC. Com esta iniciativa, a Semana Ousada abre um espaço de discussão entre as duas instituições, com vistas a propiciar futuras parcerias entre estas. A curadoria da mostra foi elaborada pela professora Fátima Lima (UDESC/UNISUL), com o apoio da professora Sandra Meyer da UDESC.

Curadoria: Fátima Costa Lima e Sandra Meyer

NADA MAIS
Como fugir do que se ouve demais?
Direção de Marília Olska
ano: 2005
Duração: 10’30”

ÁRVORE SOLITÁRIA
O encontro de duas solidões. Um menino doente e uma árvore.
Direção de Letícia Friedrich
ano: 2006
Duração: 18’

AFLORA
Florista com casamento melancólico compartilha sua solidão com as flores e a poesia.
Direção de Maíra Corrêa Machado
ano: 2007
Duração: 14’30”

MALABARES
Um circo chega numa comunidade. As atrizes e os atores descobrem que, atrás de uma aparência pacata, se esconde um terrível segredo.
Direção de Mara Salla
ano: 2009
Duração: 15’30”


19h30


Projeto 12:30 Acústico - Tereza Virginia: A Outra
Local: Teatro da UFSC

Show "A Outra", com músicas do CD lançado em 2008
Tereza Virginia se propõe a expor a voz e a perspectiva feminina ao compor através dos gêneros musicais xote, samba e fado. Suas canções são resultados de parcerias estabelecidas com compositores como Beatriz Sanson, Chico Saraiva, Emílio Pagotto, Ive Luna e Luiz Gustavo Zago. Nos arranjos e canções, ela procura desestabilizar identidades musicais, e as letras são elaboradas para desafiar as convenções usuais comuns a cada gênero.


20h30

Peça "Para Tartuficar-se"
Local: Auditório Garapuvu - UFSC

Ação Social: Troca de ingresso por Kit Higiênico (sabonete e pasta dental), que pode ser feita ainda hoje no Núcleo de Comunicação Ceart/UDESC, até às 17h.

Para Tartuficar-se é um espetáculo de dança-teatro criado a partir da obra teatral ‘O Tartufo’, de Moliére. Mais do que retratar os fatos desta obra, interessa ao grupo o conceito de ‘Tartufo’ que a obra trouxe para sua posteridade. Tartufo é o nome inventado por Moliére para uma personagem sua, mas, tamanho o sucesso e a polêmica causada pela peça, este nome passou a ser adjetivo de pessoas que possuíam as mesmas características morais da sua personagem: o hipócrita, o falso religioso, aquele que finge virtude que não possui.
Para Tartuficar-se utiliza então o substantivo ‘tartufo’ e trabalha sobre suas derivações. A partir da criação de um ambiente, um lugar onde o tartufismo é praticado, o grupo codifica os registros teatrais e de dança como contraponto entre o que é tartuficamente construído para dar a entender algo a quem vê (teatro) e onde as verdadeiras intenções dos tartufistas residem (dança). Sem objetivar a alternância entre cenas de dança e cenas teatrais, o espetáculo joga com as linguagens a partir da simbiose destas: a dança-teatro.
Direção: Diogo Vaz Franco
Elenco: Anderson Luiz do Carmo, Bárbara Teles Cardoso, Diogo Vaz Franco, Juliana Riechel, Oto Henrique, Pedro Coimbra e Thaís Carli
Operação de luz e som: Elisa Schmidt

21h


Projeto 12:30 Acústico - Trino
Local: Teatro da UFSC

No palco do Teatro da UFSC, o grupo Trino, apresenta uma amostra da música folclórica e tradicional brasileira em um show de uma hora e meia. O repertório é composto por canções de domínio público cantadas em cocos, jongos, cirandas, bumba-meu-boi, sambas de roda, cacuriás, tambor de crioula, catumbis, marchas, frevos, maracatus e baiões. Para essas músicas, o grupo Trino elaborou novos arranjos que representam cenas da vida rural e sertaneja, registro dos costumes e das tradições do povo brasileiro.
Em suas canções o grupo traz a arte popular. As canções tratam de experiências vividas ou contadas e a relação do homem com aquilo que o cerca: o lugar, os animais, a vegetação, as estrelas, o sol, a lua, o amor, a guerra, o sagrado, o cotidiano e a morte.